Exponutrition - A mais completa feira de nutrição esportiva do Brasil

De 20 a 22 de Outubro de 2017
Marina da Glória / Rio de Janeiro

Você está aqui:
  • Home
  • A Feira
  • Dados do Setor
  • Dados do Setor

    O Mercado de Suplementos e de Produtos Naturais está em alta. 

    A venda de Suplementos para Atletas com finalidades específicas, como perda de peso ou ganho de massa muscular, é um mercado em forte expansão. O mercado brasileiro de Suplementos Alimentares cresce em média 25% a.a.

    O mercado global de suplementos atingiu U$ 190 bilhões em 2013, e com crescimento anual de 20-25%, estima-se que ultrapassará os  U$ 200 bilhões em 2014.

    Resultado dos anos anteriores:

    2013 - Aproximadamente U$ 193 bilhões

    2012 – Aproximadamente U$ 174 bilhões

    2011 – Aproximadamente U$ 153 bilhões

    2010 – Aproximadamente U$ 121 bilhões

    2009 – Aproximadamente U$ 98 bilhões

    2008 – U$ 78,5 bilhões

    2007 – U$ 59,8 bilhões

    Percentual do mercado global:

    Ásia-Pacifico = (44,2%)

    América do Norte = (32,6%)

    Europa Ocidental = (14,4%).

    América Latina= (3,1%).

    Europa Oriental = (2,7%),

    África, Oriente médio e Austrália (3%).

    *Os números acima incluem vitaminas e minerais.

    MERCADO DO BRASIL

    O mercado de suplementos nutricionais no Brasil  tem  um  potencial  incrível,  mas  ainda ”engatinhando” praticamente  irrelevante  quando  comparado  ao  mercado  americano, europeu, 

     asiático  e  de  vários  outros  países.  Este  atraso  da  área  de  suplementos alimentares se deve a atual regulamentação destes alimentos, com medidas antiquadas e proibitivas, indo contra a tendência mundial dos alimentos funcionais e suplementos para melhorar  a  qualidade  de  vida,  o  que contribui negativamente  para  o  crescimento financeiro, econômico e industrial do país.

    No Brasil, estima-se que apenas 5 milhões de pessoas consumam suplementos, e estes, movimentarão cerca de R$ 940 milhões em 2014.

    O crescimento do número de lojas de Suplementos no Brasil impressiona. No Amazonas, por exemplo, um estado que se situa meio que na periferia de tendências, o número de lojas mais que quintuplicou nos últimos três anos.

    Apesar da popularização deste tipo de produto, os preços ainda são pouco acessíveis para o grande público, com custo mensal entre R$ 180 a R$ 260, e é preciso lembrar que nenhum deles opera milagres.

    Nos últimos três anos, os índices de crescimento deste mercado vem atingindo médias 100% superiores às alcançadas pelo segmento de alimentos convencionais e a tendência é expandir à medida que aumenta a consciência da população quanto a importância de manter uma vida saudável e equilibrada.

    O número de abertura de novas empresas (entre Lojas de Suplementos e Lojas de Produtos Naturais) passou de 323, em 2009, para 1.413, em 2012, e desde então mantém a média de aberturas acima de 1,1 mil novas lojas ao ano.

    Na comparação dos últimos três anos, com os três anos anteriores, o crescimento foi de 461%, passando de 712 lojas, no triênio que vai de 2007 a 2009, para 3.997 novas lojas no triênio seguinte.

    Estabelecimentos potenciais para venda de Suplementos no Brasil:

    Lojas de Suplementos – Aproximadamente 3.000 (três mil lojas);

    Lojas de Produtos Naturais – Aproximadamente 4.000 (quatro mil lojas).

    Drogarias e Farmácias – 77 mil

    Academias – 20 mil

    Estima-se que, até 2012 no Brasil, somente 3% das academias e Drogarias atuavam com venda de Suplementação Alimentar Esportiva.

    No Brasil, apenas 2% da população (4 milhões de pessoas) consomem suplemento(s), e se comparado ao EUA, onde 57% da população consome, o potencial a ser explorado é gigantesco.

    Se ainda há dúvidas a respeito deste segmento, se é digno de investimentos agressivos ou não, alguns dados, como os acima expostos, são provas suficientes de que o Brasil começa a mudar de perfil. Antes tímido com relação ao profissionalismo na prática de esportes, hoje, é um país que surpreende quando o assunto é saúde e combate ao sedentarismo.

    O Mercado Negro de Suplementação Esportiva.

    Nada mais esperado que, em meio ao enorme potencial que o mercado de suplementação apresenta, empresários não comprometidos com a aura positiva que embasa o segmento, encontrem oportunidade de lucrar rapidamente à custa de pessoas idôneas e bem intencionadas. Sem querer eximir estes incautos clientes da responsabilidade que lhes é reservada dentro do mercado negro da suplementação esportiva.

    No mundo todo, a procura e o consumo de suplementos alimentares, vem crescendo muito nos últimos anos. Infelizmente, assim como acontece com os remédios, crescem também os riscos de falsificação em torno desses produtos.

    Os produtos falsificados são aqueles que não possuem em seu conteúdo o que está impresso nos seus rótulos e embalagens. Nesses produtos podemos encontrar desde a diminuição de alguns ingredientes como até mesmo, nos casos mais graves, a completa ausência deles ou o seu excesso.

    Esses produtos, também chamados de “produtos piratas”, muitas vezes imitam outros de marcas famosas. Os falsificadores usam os mesmos rótulos e embalagens de produtos conhecidos para enganar quem os compra fazendo pensar se tratar de um produto original. Por nunca cumprirem o que prometem, eles podem ser vendidos mais baratos.

    Algumas vezes os consumidores são tentados a economizar alguns reais e acabam comprando produtos de procedência duvidosa. Agora, quando o assunto é saúde, essa economia pode sair caro. Para ganhar alguns centímetros de músculos ou perder gordura, é necessário um grande esforço físico e um investimento em suplementos alimentares para acelerar esse processo. Com esses produtos falsificados, seus investimentos podem ser em vão.

    Você não vai obter os resultados desejados e vai fatalmente entrar em estado de overtraining quando essa má suplementação for aliada à prática de exercícios intensos.

    Consumir produtos sem garantia de procedência pode ser na melhor das hipóteses inofensivo, mas em muitos casos esses produtos representam um perigo real para a saúde daqueles que os usam. E outra, o mercado de suplementação não opera com margens de lucro exorbitantes. Neste momento, o cliente ávido por pechinchas torna-se participe do contexto negro deste mercado, pois sem tal demanda, por produtos com preços surpreendentemente mais em conta, não existiria a oferta tortuosa e nociva. Em mercado algum ainda persiste a visão ingênua sobre a existência de manás miraculosos. Suplementos de qualidade a preços incrivelmente baixos não são obra do acaso ou de um manancial místico e oculto.

    O fato é que a “indústria da falsificação” está se especializando mais a cada dia, e fica cada vez mais difícil diferenciar produtos originais de produtos falsificados.

    Algumas lojas acabam fechando os olhos para esse problema e sendo coniventes assim com a pirataria. Muitas delas não verificam a procedência das mercadorias que vendem, e visando somente o lucro, compram de fornecedores obscuros, que muitas vezes entregam produtos falsificados a preços muito menores.

    Os resultados mais construtivos a serem obtidos por meio de alimentação suplementada passam necessariamente por treino árduo, disciplinado e dieta de produtos de qualidade, ambos supervisionados por profissionais competentes.  Lembrando-se que a “competência” destes profissionais é inclusive atestada na qualidade de suas recomendações referentes aos estabelecimentos varejistas onde seus clientes podem encontrar os produtos prescritos por eles.

    Até bem pouco tempo a atmosfera que perscrutava o varejo especializado no comércio de suplementos alimentares era matizada por sombras, meio “submundo-punk-grunge”, um ambiente misterioso, de uma densidade incômoda e pesada, como se o que estivesse sendo vendido ali fosse execrado ou herético. Não está totalmente incoerente esta visão, pois a regulamentação deste setor está também em pleno amadurecimento. Até então, “toda a sorte de produtos” voltados à hipertrofia (Papo sobre vida saudável e alimentação funcional, nem pensar.), quando não encontrados nestes locais, ao menos indicações sobre quem os escuramente comercializavam eram obtidas ali. E tal análise ainda é pertinente: O “ponto de venda” de suplementação, as características predominantes do público que ali frequenta, o treinamento e a apresentação dos vendedores, a própria “atmosfera” e o ambiente físico onde se encontra são pistas reveladoras sobre a natureza dos produtos que são vendidos ali.

    Aferir a qualidade do que está sendo comprado e familiarizar-se com as empresas fabricantes e de seus varejistas é interesse primário de quem compra.

    Texto compilado e adaptado por: Marcelino Lisboa

    Fonte:  Abenutri (Associação Brasileira de Empresas de Produtos Nutricionais)